ENTREVISTA | Joana Gama - Mais Notícias | Atualidade, entretenimento
ENTREVISTA | Joana Gama

ENTREVISTA | Joana Gama

Partilha

Joana Gama, nascida a 17 de setembro de 1986, é locutora da rádio Mega Hits, tendo já passado pelo Café da Manhã na RFM. Apresentou a sua rubrica 'ProGama da Joana Gama' no Curto Circuito da SIC Radical e, neste momento, possui um blog 'A Mãe é que Sabe'. 


Para começar, no site da Mega Hits diz que "sou imensamente feliz". Então como se descreve?
Agora acho que mais rapidamente me descrevo como intensamente intensa. Quando estou feliz sou muito feliz e quando estou triste estou mesmo muito triste. Sei que parece que há aqui um diagnostico à espera de ser feito, mas gosto de pensar (até porque me sai mais barato) que faz parte de mim e é o que me torna diferente.


Numa entrevista dizia que queria ser Pintora e Professora de Educação Física. É verdade?
Quando era mais pequenina queria porque eram duas coisas que me desviavam do concreto e que me acalmavam um pouco. Pintora era porque a minha avó Irene – meu anjo da guarda – era pintora e foi ela quem me ensinou a brincar. E professora de educação física porque desde nova que andava na Ginástica Desportiva e o fazia sem esforço.


Após se licenciar, em 2007, tornou-se radialista na Mega Hits e esteve lá 4 anos. Como foi essa experiência? 
Enviei currículo por ser a rádio que ouvia, apesar de nunca me ter imaginado como radialista.


(Créditos: Facebook Joana Gama


Entretanto, outro meio de comunicação também a "puxou": a Televisão. Como correu o programa que fazia na SIC Radical?
Na minha perspectiva correu bem, as pessoas acabaram por gostar de mim e da minha presença. A minha persona não era de empatia rápida mas acho que acrescentei um conteúdo diferente ao 'Curto Circuito' na altura e era o que procuravam.


Já vimos que a Televisão e a Rádio são meios que elege. Qual dos dois prefere?
Não consigo separar por meios o que é a comunicação. Vejo mais por formatos. Um projecto entusiasmante é-o independentemente do meio. Gosto de coisas que me entusiasmem, acho que é normal :)


Outra rádio do Grupo Renascença foi a RFM. Como surgiu o convite e essa transição?
Surgiu por haver uma necessidade na altura, no Café da Manhã, de alguém que refrescasse o programa com ideias novas e também com conteúdo humorístico. Decidiram – e bem – começar por prata da casa e eu pareço ter sido a pessoa que, na altura, reunia mais condições para o que era procurado. A transição foi muito dolorosa. É mudar da escola e de casa. Doeu e custou. Apesar de estar muito grata pela oportunidade que me foi dada.


(Créditos: Facebook Joana Gama)


RFM ou Mega Hits. Quais das duas rádios escolheria?
Eu estou na Mega :) Não é uma decisão difícil. O grupo Renascença Multimédia funciona numa lógica de grupo e estarei onde a empresa achar que sou mais valiosa, independentemente da cor da camisola que, em último caso, é o desta grande família.


Passou pela rádio, Televisão, faz stand up comedy, tem um blog onde mostra os seus dotes de escritora... o que te falta fazer mais na tua vida? 
Já não vou a tempo, mas depois de ter acabado a licenciatura senti que precisava de um ano para “ganhar mundo” que (in)felizmente não aconteceu por ter começado a trabalhar. Gostava de parar para viajar e crescer um bocadinho em vez apenas de me esticar num espaço confinado.


Neste momento, outra das suas ocupações é o Blogue 'A mãe é que sabe'. Como surgiu?
A escrita sai-me. E ao longo da minha vida fui tendo imensos blogs. Agora é normal e toda a gente os tem num formato ou noutro com as redes sociais, mas sempre tive essa tendência. Quando engravidei da Irene escrevi o meu primeiro livro, depois, como a experiência não finda um blog era o que faria mais sentido e com a Joana Paixão Brás seria impossível não pensarmos em como podíamos criar conteúdo com conjunto.



(Créditos: Facebook Joana Gama


Agora que é mãe, acha que a sua vida mudou ou continua a ser o que era?
A minha vida mudou em tudo. Nada é igual. Gerar vida, criar vida e certificar-me da sua felicidade (e da minha) é a minha prioridade e sê-lo-á para sempre.


Se tivesse de escolher outra cidade para trabalhar, qual seria?
Neste momento, com o pouco que conheço do mundo, escolheria Berlim. Foi o que mais me inspirou a ser uma pessoa melhor e mais completa quando lá estive com o meu melhor amigo.


Mais recentemente está de volta à Mega Hits. Está contente?
A Mega Hits tem um ambiente que, apesar de ter trabalhado em quase mais nenhum outro sítio, tenho a certeza que não é replicável. Parece um enorme trabalho de grupo – e é – mas em que todos remamos para o mesmo lado e respeitamos as nossas loucuras. Não há como não estar bem na Mega Hits.



'MAIS NOTÍCIAS' ENTREVISTA - Edição 7
Convidado: Joana Gama
Entrevistador: Tiago Ferreira
Produção: Tiago Ferreira
Mais Notícias 2017

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pages