Eurovisão em Israel está em risco. "Não comprem já viagens"


Com a vitória de Israel na primeira Eurovisão realizada em Portugal, a organização do certame aconselha ainda não tratar do bilhete para 2019.


Portugal foi o último país a acolher a Eurovisão. Agora que encontrado o vencedor da edição 2018, a organização do certame avisa para os fãs ainda não comprarem os bilhetes para a edição do próximo ano, na medida em que esta se realiza em Israel.

"Está ansioso pela edição do próximo ano do Festival da Eurovisão? Nós também. Mas não reserve já as suas viagens. Para atualização de informação sobre onde e quando o festival terá lugar, esteja atento aos anúncios nos nossos canais oficiais", mensagem divulgada nas últimas horas no Facebook do certame.



Apesar de, por via da vitória da israelita Netta Barzilai em Lisboa, a Eurovisão poderá não concordar com a realização da edição do próximo ano em Jerusalém, onde recentemente se viu inaugurada a embaixada americana e na mesma altura em que 60 palestinianos foram mortos em Gaza.

Questões políticas (às quais a Eurovisão sempre se manteve avessa), mas também de segurança, podem significar que outras opções serão tidas em conta.

Recorde-se que vários músicos têm juntado a sua voz ao movimento #ArtistsForPalestine, condenando (e em alguns dos casos boicotando) Israel. Roger Waters, que esta semana atuou em Portugal, e Portishead são alguns dos artistas envolvidos, e Gilberto Gil cancelou concertos em Israel.


Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.